Categoria de vídeos

Categoria das Fotos

Agora você pode compartilhar os vídeos do nosso site com seus amigos pelo Whatsapp e convidar eles para assistirem os melhores vídeos porno amador do Brasil!

Contos Eróticos – Apaixonado pela minha irmã

Contos e Quadrinhos Pornô e Eróticos de Incestos

Oi, meu nome é Alexandre Borges, tenho 27 anos e moro na Bahia e quero contar a minha história de como sou apaixonado pela minha irmã mais nova, a Jamilly (25 anos). Tudo começou no interior da Bahia onde morávamos, quando eramos crianças, uma pequena cidade chamada Brumado, com pouco mais de 60 mil habitantes, lugar calmo e muito bom de se viver. Morei nessa cidade até os meus 17 anos, mas tudo começou aos 13 anos, quando eu e minha irmã estávamos na escola. Ela com 11 anos já tinha um corpo mais desenvolvido do que as outras garotas da sua idades, seus peitos e sua bunda já eram bem atraentes, e naturalmente chamavam a atenção de outros garotos, o que sempre me causou muito ciúmes. Me lembro de uma vez, quando estávamos saindo da escola pela manhã, um garoto, que me recordo bem… Seu nome era Gustavo, cabelos lisos e moreno, parecia um índio, esse na verdade era o seu apelido. Eram quase meio dia e na saída da escola vi a Jamilly e esse Gustavo abraçados na porta da escola, encostado em um carro preto, e isso me fez subir um ódio imenso, e acabei partindo pra cima dos dois e apartando-os. Nesse dia vim para casa com minha irmã, os dois calados, ela saia que eu estava muito bravo com ela.

Quando chegamos em casa, ela me perguntou se eu iria contar tudo para os nossos pais, e me implorou para que isso não acontecesse, ela sabia que nossos pais eram bastante conservadores e muito bravos. Fiz cara de mal, fingir estar muito afim de contar, mas algo em mim não deixaria eu fazer, mesmo que eu quisesse. Nesse dia livrei a barra dela, mas disse que não faria isso, e não fiz. Mas me questionei o porque sentia tanto ciúmes dela, pensei que fosse coisa de irmãos.

Quando eu completei 16 anos, já tinha um pouco mais de  malicia com as coisas, e me lembro de um dia meus pais terem que viajar e deixou eu e minhas duas irmãs sozinhos em casa, uma tia minha estava doente e precisava de cuidados, ela morava em outra cidade, que não era muito longe de Brumado. No mesmo dia em que meus pais viajaram minha irmã mais velha a Larissa, que não falei sobre ela no começo da história porque não é ela o foco, mas enfim, Larissa foi visitar uma amiga para fazerem um trabalho de escola ou coisa do tipo, não me recordo bem. Larissa tinha 19 anos, ela é 3 anos mais velha que eu, e sempre foi a nossa irmã mais dedicada e responsável. Antes de sair, ela disse para tomarmos banhos e ficarmos limpos que assim que voltasse faria nossa janta.

Minha casa era bem pequena, eram apenas 2 quartos, sala, cozinha e um banheiro apenas, e nesse mesmo banheiro havia uma janela, e uma fechadura daquelas de chave simples, que não funcionava mais, estava lá apenas de enfeite, a gente fechava a porta com uma espécie de trinco, quem já morou em casas pequenas sabe bem o que estou falando.

Pedi nesse dia para que Jamilly fosse tomar banho primeiro, e fiquei na sala assistindo TV, mas minha cabeça não estava nem ai para a televisão, eu só conseguia tentar imaginar como seria o corpo da minha irmã despido. Lembro que comecei a imaginar isso e meu pênis foi ficando muito duro, que quase não cabia dentro da minha cueca. Até que eu não aguentei mais de curiosidade e fui até o banheiro, subi em uma cadeira que ficava ali próximo e comecei a espiar pela janela, e via minha irmã completamente linda e toda molhada tomando banho e isso me deixava completamente louco, quando ela começava a passar sabão em seu corpo molhado eu podia ver suas mãos macias deslizando pelo seu corpo inteirinho e apertando seus peitos que já era de tamanho médios e durinhos. Até que resolvi sair dali antes que ela me pegasse no flagra ou a Larissa chegasse. Nesse dia lembro que fui dormir pensando nesse banho e acordei com minha cueca toda meladinha, eu já estava me apaixonando por ela e não sabia.

Essa minha vida de irmão pervertido que espiava a própria irmã tomando banho, durou uns 4 dias. Lembro que no quinto dia, era um sábado, e a Larissa chamou nós dois, e disse que iria a uma festa com uns amigos e que deveríamos ficar quetos e blá, blá, blá.. Essas coisas de irmãs mais velhas sabe? Quando foi a tarde, a Larissa estava de saída e disse que só voltaria no domingo, pois iria dormir na casa de uma amiga chamada Juliana, e que voltaria no sábado a tarde, mas que havia comida pronta, era só esquentar e saiu. Minha consciência já não pesava tanto quando eu imaginava minha irmã mais nova pelada ou coisa do tipo, na verdade, eu já sonhava em transar com ela. Esperei uns 30 minutos para ter certeza de que Larissa não voltaria e que ficaríamos sozinhos em casa, então pedi que Jamilly fosse tomar banho, já com os planos de ver ela nua novamente tomando banho. Eu precisava aproveitar o máximo que eu podia, meus país voltariam logo e a casa ficaria cheia novamente, e mesmo que Larissa não estivesse talvez eu não tivesse mais oportunidades assim. Assim que Jamilly entrou no banheiro, corri para janela, e comecei ver ela tirando a roupa, lembro que nesse dia ela iria lavar o cabelo, o banheiro era pequeno e não tinha alguns acessório, então ela se abaixou para colocar os Shampoos e condicionadores no chão, foi quando eu vi aquela bucetinha gostosa molhada, e com poucos cabelos se abrindo na minha frente. Nesse dia me subiu um tesão e uma coisa muito forte e eu sabia que não podia ficar só nessa vida de assistir a banhos e bater punheta, eu precisava arriscar alguma coisa. Então, desci da cadeira lentamente, e bati na porta do banheiro. Fechei os olhos e só pensei: “Vamos ver no que vai dar”,

Jamilly perguntou logo com seu jeitinho meigo:

– “Oi, Alexandre? É você?”

Eu respondi a ela:

– “Sim sou eu, abre a porta para eu pegar uma coisa bem rápido.”

Ela achou um pouco estranho e perguntou:

– “Que coisa? Estou pelada, estou no banho Alexandre, espera!”

– “É bem rápido, nem vai dar pra te ver, prometo.” respondi.

-“Tudo bem, mas rápido!” Ela disse.

Jamilly então abriu a porta e correu para atrás das cortinas, pois minha casa não usávamos box, eram cortinas.

Entrei, fingi que estava olhando algo e perguntei ela morrendo de medo:

-“Posso tomar banho com você?”

-“Como? Claro que não” ela respondeu.

-“Por favor, vai ser rápido, somos irmãos que nunca tomamos banho juntos” Ri um pouco trêmulo por estar com muito medo.

-“Não Alexandre, eu sou mocinha já.” Ela respondeu.

Quando Jamilly respondeu, percebi que havia algo na sua voz muito estranho, ela respondeu isso com um sorriso e um ar de que quem queria algo mais tinha vergonha, ou estava tímida. Então resolvi arriscar tudo, tirei minha roupa e entrei na parte onde ela estava tomando banho. E ela me olhou sorrindo e disse: “Seu louco, o que está fazendo hein?”.

Começamos a tomar banho e algumas brincadeiras, no chuveiro, mas o que estava pra acontecer ali era o que posso dizer meus senhores, ser a melhor história de contos de incestos que você já viu na sua vida, pois até hoje eu não acredito que isso aconteceu.

Eu estava pelado, e naturalmente meu pau ficou muito duro, mas não fiquei com vergonha, Jamilly estava de costas para mim, comecei a encostar dela, fazendo meu pênis encostar na bunda dela, ela fingia que não sentia nada, até que uma hora apontei minha rola em direção a buceta dela e encostei de vez.

Jamilly:

-“Alexandre seu louco, eu sou moça eu te disse.”

Ai tive certeza de que ela não se importava com o fato dela ser minha irmã.

Eu respondi pra ela:

-“Deixa eu colocar, bem de vagar?”

Ela:

-“E se doer?”

Eu:

-“Não vai eu prometo, vou enfiar de vagarzinho.”

Ela apenas se virou de costas pra mim, como se dissesse: Mete em mim!

Então, peguei meu pau, esfreguei a cabecinha da minha rola na bucetinha dela, e percebi que ela estava bem molhadinha, tentei enfiar e ela tirou, disse que estava doendo. Pedi para que ela abrisse bem sua buceta pra mim, ela pegou as duas mãozinhas e regalou bastante. Então enfiei de uma vez, e lembro que ela ficou nas pontas dos pés. Olhei para o chão e ela estava sangrando um pouco, mas como ela não reclamou mais, preferi não parar, e comecei a penetrar cada vez mais dentro da minha irmã, com uma alegria enorme por saber que ela havia perdido a virgindade comigo.

Depois de transarmos muito no banheiro, a gente foi para o quarto, e quando vi ela se enxugando percebi que já estava completamente apaixonado pela minha irmã.

Pode parecer estranho um cara ser apaixonado pela irmã, mas eu me amarrei muito. No mesmo dia, pela noite, transamos novamente, e começamos a transar mais e mais.

E até hoje eu e ela ainda transamos escondidos, e minha irmã deixa eu fazer tudo o que quero com ela. Inclusive, também tirei a virgindade do seu cu. Mas isso é história para um outro dia, espero que tenham gostado da minha história incestuosa.

80%
Mais Votados : 5

59 views Visto

dezembro 25, 2016
Categorias Tags
    Adult Wordpress Themes